Skip to content
20/05/2012 / Boleiragem Tática

Ponte Preta 0 x 1 Atlético Mineiro – Os tantos erros dos dois lados e o peso de um gol no fim do jogo

Em um jogo morno e equilibrado, poucas virtudes puderam ser observadas nos times de Cuca e Gilson Kleina. O gol de Escudero, aos 45 da segunda etapa, que decretou a vitória atleticana, acabou sendo o ponto de desequilíbrio e, até mesmo, injustiça de todo o jogo.

Primeiro tempo

O Atlético teve bons momentos no jogo. Sobretudo quando conseguiu imprimir velocidade à partida. Com o ótimo Bernard entrando em diagonal da esquerda para a grande área, Mancini se mexendo bem por dentro e Danilinho acelerando pelo lado direito, o time de Cuca dominou parte da primeira etapa.
Até porque a Ponte Preta não criava. Com Enrico bem marcado por Pierre e Tony perdido na ponta-esquerda, sem saber se era segundo atacante ou meia de ligação, sobrava para os volantes a tarefa de armação das jogadas. Mas por mais que Somália tenha tido pulmão para atacar e marcar, faltou o passe preciso de um meia criativo. No fim, sobrou até para Roger, que, recebendo poucas bolas, passou a recuar e receber na intermediária.
Enquanto isso, o Galo se fechava em busca de um contra-ataque letal. Mas também com muitos passes errados no meio, cedia posses de bola importantes. A falta de precisão nos passes foi uma marca do primeiro tempo pegado no Moisés Lucarelli.
Para segunda etapa, Cuca trocou o contundido Carlos César pelo reserva Marcos Rocha e o esquema. Do 4-2-3-1, foi para o 3-3-3-1, internacionalizado por Marcelo Bielsa. Com os alas mais liberados para ajudarem os meias na criação das jogadas, o Galo ganhou ofensividade. Por outro lado, a Ponte também voltou mais intensa.
No decorrer de uma segunda etapa mais movimentada, Gilson Kleina resolveu arriscar. Trocou o sumido Tony e o meia Enrico pelos atacantes Nadson e André Luis, ambos recém-contratados. Do seu habitual 4-3-2-1, foi para o arriscado 4-3-3. E a partida ficou aberta. Ataque de um lado, resposta de outro. Ainda, porém, com muitos erros no meio de campo.

Segundo tempo

Até que um erro de passe do ataque da casa gerou um ótimo contra-ataque puxado por Bernard, que só parou em falta de Ferron.Danilinho levantou a bola na área, a zaga afastou. Mas no rebote, Escudero, de peixinho, marcou o gol da vitória, em furada de Baraka, que atrapalhou o goleiro Lauro.
Em um jogo de muitos erros e poucos pontos positivos nos dois times, um gol no fim da partida pode ser crucial ao término de um campeonato tão equilibrado. Fato é que, no entanto, tanto Gilson Kleina, quanto Cuca têm muito a melhorar em seus times.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: