Pular para o conteúdo
08/11/2011 / Campo de 11

Durval na lateral-esquerda, uma ótima opção para Muricy Ramalho ‘anular’ Daniel Alves

Ao perder Léo, lesionado, e Alex Sandro, seu reserva imediato, vendido para o Porto, Muricy resolveu improvisar o experiente zagueiro Durval na lateral-esquerda. Inteligente e canhoto, o “Xerife do Sertão” rapidamente se adaptou. Em cinco jogos, foi bem em todos, diminui os problemas defensivos e criou uma ótima alternativa para Muricy Ramalho armar seu time no Mundial de Clubes, em dezembro, visando um possível e provável confronto contra o Barcelona.

Apesar de viver dizendo que a melhor forma de vencer o Barcelona é fazer seu time se desprender das preocupações defensivas e jogar bola, é fato óbvio que o treinador santista terá, ao menos, uma mínima atenção ao escalar a defesa que terá a dura missão de parar Messi e Cia. A ideia de Muricy é desenvolver uma marcação por zona, com combates rápidos e, sempre que possível, adiantar a marcação. Este que vos escreve concorda completamente com o treinador. No entanto, por bem ou por mal, duelos individuais ocorrerão nesse confronto provável, como em toda partida de futebol.

Esses confrontos individuais se darão, sobretudo, pelos lados do campo. É aí que a improvisação de Durval entra em ação. No lado esquerdo da defesa santista, o direito do ataque catalão, a missão é árdua: marcar dois grandes jogadores ofensivos. Afinal, além de Pedro, o atacante que costuma jogar aberto por aquele lado, o lateral-direito da equipe de Joseph Guardiola é ninguém menos ninguém mais que Daniel Alves, um dos mais atacantes da posição em todo o planeta.

Quando o time tem a bola, é comum Pedro entrar em diagonal e abrir um imenso corredor para Dani Alves, que vira praticamente um segundo ponta-direita. Na maioria dos casos, o meia rival que deveria estar em sua marcação quando sem a bola, não aguenta a frequência das subidas do camisa 2 barcelonista e o deixa livre. Isso só facilita ainda mais as jogadas criadas pelo time. Daniel Alves é, aliás, um dos grandes criadores de tramas do Barcelona, justamente pelo espaço e pela liberdade que lhe são concedidos.

Com Durval na lateral, o Santos ganha um lateral defensivo, exatamente no lado em que mais precisa reforçar o combate. Assim, o confronto com Daniel Alves e Pedro se torna mais simples. Se um dos volantes marcar Messi, Pará, o lateral-direito, colar em David Villa, Edu Dracena e Bruno Rodrigo sobrarão. Como só é preciso um jogador na sobra da zaga, um dos zagueiros pode sair para marcar Pedro e, assim, Durval fica exclusivamente preocupado com Daniel Alves.

Meio sem querer, Muricy pode ter descoberto a melhor forma de anular uma das grandes jogadas do Barcelona. Ainda assim, vale ressaltar que Durval é um jogador absurdamente mais lento do que Daniel Alves. E menos técnico também. Portanto, a possibilidade do lateral do time europeu levar a melhor nesse embate é, de fato, bem maior. Mesmo assim, só de ter um homem exclusivamente no seu pé, a pressão aumenta e a dificuldade também. E é possível que Daniel Alves renda menos do que o esperado.

Há ainda um outro ponto favorável em se ter Durval preso à marcação na lateral-esquerda. Com um homem totalmente voltado para a defesa no lado esquerdo, Neymar não precisa se preocupar em voltar para marcar. Com mais liberdade e espaço, até em maior escala que Daniel Alves, o melhor jogador brasileiro da atualidade certamente será muito perigoso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: