Skip to content
07/09/2011 / Boleiragem Tática

Botafogo 4 x 0 Ceará – O melhor futebol do Brasil no momento se baseia na intensidade ofensiva

Embalado pela ótima fase e pelo apoio massivo da torcida, que voltou a lotar o Engenhão, o Botafogo atropelou o Ceará nesta quarta-feira, pela 23ª rodada do Brasil, e, cada vez mais, se consolida como um autêntico candidato ao título. No presente, joga o melhor futebol do país – com características bastante ofensivas, diga-se de passagem. E com ótimas perspectivas para o futuro.

Coletivamente, o time se mostra muito maduro. Como se avisasse a cada rodada que está, de fato, pr0nto para brigar pelo título. Individualmente, há qualidade por todos os setores. E, para quem duvida da aliança entre as vertentes do futebol, taticamente o time também encanta.

No 4-2-3-1, sistema da moda do futebol moderno, Caio Júnior conseguiu fazer o time jogar pra frente sempre com a intensidade. Sem a bola, a recomposição é rápida. Com ela, num piscar de olhos a equipe consegue ir da defesa para o ataque. Velocidade e intensidade que Maicosuel, Elkeson e Herrera, o trio de ligação entre o meio e ataque, têm de sobra. Isto sem falar no impressionante senso de movimentação que Caio conseguiu imprimir ao seu time.

Trocas de posições, inversões, incursões em diagonal são movimentos praticamente automáticos para o trio citado acima. Teoricamente, Elkeson é o meia mais centralizado. Mais na prática isso nem sempre é visto com nitidez. Quase sempre eles estão trocando de lado e posição. Principalmente Maicosuel e Elkeson, que se revezam entre a ponta-esquerda e a meia-central. Herrera se concentra mais no lado direito.

O 4-2-3-1 do Botafogo: muita movimentação, velocidade e intensidade no ataque.

A intensidade ofensiva é, sem dúvidas, a maior virtude do time de Caio Júnior, antes considerado duvidoso e emergente, agora já brilhante, ostentando a segunda posição na tabela.

Na defesa, há ainda alguns pontos a serem acertados. Como a marcação pelos lados. Time que quer brigar pelo título não pode, jamais, ser atacado quando tem um jogador a mais, está vencendo a partida e jogando dentro de seus domínios, como aconteceu com o Botafogo diante do Ceará nesta quarta. Armado no 4-3-1-2, o time nordestino chegou a assustar o goleiro Jefferson à base do toque de bola e as jogadas em profundidade pelos lados, explorando a frágil marcação dos laterais cariocas.

No entanto, com a expulsão de Fabrício, ainda na primeira etapa, o panorama de uma vitória fácil para o Botafogo se concretizou rapidamente. Sempre muito rápido na ligação defesa-ataque, os donos da casa partiram para o atropelamento. O segundo veio com Herrera, o melhor em campo pela movimentação digna de segundo atacante: partindo do lado direito do campo, por onde joga, para dentro da área, em diagonal, aproveitando os recuos de Loco Abreu, excelente como pivô.

Foi dessa movimentação que surgiram os dois primeiros gols botafoguenses. A partir dela, é possível constatar a importância do argentino para o esquema de Caio Júnior. Além de prender o lateral-esquerdo rival, com seu combate incansável, Herrera faz a diferença na frente, como um verdadeiro segundo atacante que sabe a hora certa de surpreender a zaga rival, entrando em diagonal.

O terceiro veio de Loco Abreu, após ótima enfiada de bola de Renato, o grande responsável pela melhoria da saída de bola do time. A bola chegou até Elkeson, que, inteligentemente, cruzou para trás. Loco, sozinho, só teve o trabalho de completar para o gol vazio. O detalhe foi a velocidade da jogada, mesmo com o time já vencendo por 2 a 0 e com o jogo caminhando para o final.

Mas o Botafogo atual é assim. Corre, corre, corre, e não cansa. Sem intensidade, o time não funciona. Por isso, Renato, um dos mais técnicos do meio-campo, evita cadenciar o jogo. Somente quando o time precisa fazer o tempo correr. É raro ver um gol do Botafogo surgir após longa e paciente troca de passes, como faz o Barcelona. Pode até ser originado por um cruzamento, uma bola alçada á área, como o quarto gol, de Cidinho, após lindo cruzamento de Éverton, que, mais uma vez improvisado na lateral, correspondeu às expectativas com muita eficiência nas subidas ao ataque.

Ajeitando uma falha ou outra de posicionamento e combate na defesa, o Botafogo tem tudo para ser o grande candidato ao título deste ano. O melhor futebol do momento, o time já joga. Falta, agora, consolidação como favorito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: