Skip to content
31/08/2011 / Boleiragem Tática

Corinthians 3 x 2 Grêmio – No 4-3-3, Tite muda e decide um jogo repleto de polêmicas e emoções

Arbitragem à parte, se viu um grande espetáculo no Pacaembu, pela vigésima rodada do Brasileirão 2011. Cinco gols, duas expulsões e grandes jogadores em campo. Melhor seria, porém, se o juiz André Luiz de Freitas Castro(GO) não tivesse tido tanta influência no resultado. Depois de marcar um pênalti visivelmente inexistente a favor dos donos da casa, tentou compensá-lo com as expulsões desnecessárias de Liédson e Edenílson.

O Corinthians começou o jogo como se espera do líder jogando em casa. Pressionando, marcando adiantado. Pela direita, Alessandro e Edenílson eram ótima válvula de escape para o 4-3-1-2 habitual de Tite. Danilo, encaixotado entre os voltantes gremistas Fernando e Fábio Rochemback, era peça nula na criação alvinegra.

O Grêmio marcava muito e jogava pouco. Só foi melhorar no jogo com a maior freqüência das subidas de Júlio César, ex-Fluminense, pela esquerda, fazendo companhia aos meias Douglas e Escudero. Mesmo assim era pouco para sufocar um time que marca à frente e verticaliza as jogadas com inteligência.

Primeiro tempo: Corinthians no 4-3-1-2; Grêmio no 4-2-3-1, com Marquinhos e Escudero como meias abertos pelos lados.

Suficiente, na verdade, foi a cobrança de falta magistral de Douglas, já no final da primeira etapa, empatando a partida. O gol deu tranqüilidade para Roth levantar o moral do time, que retornou do intervalo muito melhor. Ainda no 4-2-3-1, mas com Douglas e os laterais mais participativos, adiantando cada vez mais as linhas do meio-campo.

Com a marcação também adiantada, os minutos iniciais da segunda metade do jogo foram todos do time visitante. Trocando muitos passes e valorizando bem a posse de bola no campo de ataque, o Grêmio girava o jogo em busca de uma brecha para finalizar. Em chute perigoso, Douglas quase marcou. Em outro, foi a vez de Júlio César.

O Tricolor dominava a partida aos 20 minutos, quando Tite trocou o apagado Danilo pelo disposto Jorge Henrique, transformando o time num 4-3-3 mais aberto. Explorando os contra-ataques, manteve os três volantes no meio e abriu Jorge Henrique e Emerson pelas pontas direita e esquerda, respectivamente. Acabou por decidir o jogo.

Em três minutos, o Corinthians virou o jogo. Com dois contra-ataques. Duas participações de Jorge Henrique. O primeiro resultante de roubada de bola de Alessandro no lado direito, passando pelos pés de Jorge Henrique, antes de sobrar para Paulinho, um dos melhores em campo, finalizar sem chances para Victor. O segundo, outra roubada de bola no meio, nova jogada pelo lado direito, cruzamento de Jorge Henrique e gol de Ramón.

O Corinthians controlava novamente a partida enquanto o Pacaembu explodia de emoção. Até Liédson ser injustamente expulso. Com um a menos, o Grêmio crescera. Até diminuir, aos 28, com André Lima.

Minutos depois seria a vez de Edenílson ser expulso. Agora eram nove contra onze. Mas o Corinthians tinha uma massa empolgada e um time raçudo em campo. No coração, na garra, resistiu à pressão e se manteve na ponta da tabela. Cada vez mais, se vê como o grande candidato ao título. Definitivamente, só depende de si .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: