Skip to content
14/04/2011 / Boleiragem Tática

Náutico 0 x 3 Vasco da Gama – Vitória maiúscula encaminha classificação cruzmaltina

Primeiro tempo: Timbu no 4-3-3; Vasco no 4-3-2-1

O capitão Felipe não teve dúvidas ao afirmar: “ Foi a melhor atuação do time no ano”. E o camisa 6 tem razão. A vitória merecida por 3 a 0 sobre o Náutico, nos Aflitos, não só deixou bastante encaminhada a classificação vascaína rumo às quartas de finais da Copa do Brasil, como também provou a força da equipe comandada por Ricardo Gomes, que, com organização e seriedade, joga como time grande, independente do local da partida.

A pressão que a torcida alvirrubra costuma impor aos adversários não aconteceu nesta quarta. Talvez pela péssima atuação do Timbu. Montado por Roberto Fernandes num ousado, porém desafinado 4-3-3, o Náutico não conseguiu jogar como um time mandante. Não dominou o meio de campo, seus atacantes pouco ameaçaram o gol de Fernando Prass, cedeu espaços demais, sobretudo pelo lado direito e, se não fosse as boas defesas de Douglas e os gols perdidos pelos homens de frente cruzmaltinos, o placar poderia ter sido bem mais elástico.

Com exceção da jogada de Bruno Meneghel logo no primeiro minuto de jogo, as grandes chances de gol da primeira etapa aconteceram a favor dos visitantes.  No seu 4-3-2-1 das últimas partidas, o Vasco tinha o melhor volume de jogo do ano.Com Allan subindo bem às costas de Bruno e Eder Luís deitando e rolando para cima do limitado Aílton, o lado direito do ataque parecia ser a mina de ouro para o time de Ricardo Gomes. Era por lá que os cariocas assustavam.

Não só por lá, porém. Pelo meio, Felipe fazia ótimas infiltrações. Numa delas, por pouco Diego Souza não abriu o placar. E, pela esquerda, Ramón se revezava bem no apoio com Diego Souza, um pouco apagado, mas importante na movimentação ofensiva.

Mas foi na bola parada que o monstro Dedé tirou o zero do placar. O jogo que já era tendencioso ao Vasco, tornou-se digo de domínio absoluto. Com Fellipe Bastos se multiplicando em campo e Felipe não errando nenhum passe, o meio de campo vascaíno engolia os volantes alvirrubros. Pra piorar a situação do time da casa, Rômulo anulava o cérebro dos mandantes, o camisa 10 Eduardo Ramos.

Roberto Fernandes chegou até a perceber a deficiência da marcação de sua equipe pelo lado esquerdo da defesa. Trocou Kieza por Élton. Um atacante por um volante. Seria do volante a função de auxiliar Aílton no combate a Allan e Eder Luís. Na teoria, uma boa mexida. Na prática, foi diferente. Simplesmente não funcionou. E foi exatamente por aquele lado que o camisa 7 vascaíno levou a bola na linha de fundo, com liberdade, antes de cruzar para o impedido Alecsandro aumentar a vantagem: 2 a 0.

O Timbu se perdeu de vez. O Vasco puxou o freio de mão, mas com inteligência: continuou tocando bem a bola, rodando o jogo, mantendo a posse de bola. Novamente, Fernandes mexeu. Sacou, dessa vez, um volante para colocar um apoiador. William, todavia, quase nada acrescentou  à equipe, que continuava refém dos raros lampejos de Eduardo Ramos, ainda bem marcado por Rômulo.

Já com Bernardo e Leandro em campo, nas vagas de Eder Luís e Alecsandro, respectivamente, o Vasco buscava matar o jogo nos contra-golpes. E teve inúmeras chances para fazê-lo. Porém, Bernardo e Diego Souza fizeram questões de desperdiçar todas. Ou melhor, quase todas.  Aos 43, Bernardo cobrou falta no ângulo direito de Douglas. O jogo estava decidido. E praticamente a classificação também. O Vasco jogou como Vasco. Mesmo na casa do rival. Jogou como se deve jogar um time grande.

Como terminou: Vasco ainda no 4-3-2-1 e Náutico no 4-2-2-2

Anúncios

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Arthur Barcelos / abr 14 2011 3:28

    Ótimo post parceiro! Parabéns pela análise perfeita da partida. Achei esse trio de ataque muito estático, como você disse muito bem no Twitter: Náutico num 4-3-3 de Playstation. E o Vasco fez com certeza a melhor partida do ano, perdeu muito gol também, poderia ter saído dos Aflitos com uma goleada (obs.: 3×0 pra mim não é goleada). Enfim, Gomes finalmente “achou” o desenho do Vasco para a temporada.

    Abraço parceiro!

  2. Vicente Fonseca / abr 14 2011 14:15

    Me surpreendeu a qualidade da atuação do Vasco. Time bem ofensivo no papel, com bons jogadores do meio para a frente, e bem organizado pelo Ricardo Gomes – faz trabalho bem superior ao que desempenhou no São Paulo. Talvez seja cedo par afirmações mais concretas, mas me parece candidato ao título da Copa do Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: