Pular para o conteúdo
25/09/2010 / Campo de 11

Sport 1 x 2 Bahia – Sem poder de decisão, Leão cai diante de um Tricolor fatal

Desfalcado, fora de casa, depois de perder a liderança e empatar em casa, o Bahia tinha motivos de sobra para entrar em campo com a confiança e auto-estima lá embaixo. O Sport, pelo contrário, invicto em casa, contando com o artilheiro da competição e com dois meias capazes de fazer a diferença, diante de sua torcida, tinha tudo para sair vitorioso.

Tudo menos ataque. Ou melhor, atacantes, aqueles que o dicionário da bola define como “definidores de jogada”. Aqueles que decidem. Ciro e Wilson estiveram longe de serem algo do tipo. Eleandro e Ruan, que entraram no segundo tempo, até tentaram mudar esse panorama, come este último se movimentando mais, porém não adiantou. O Sport, que dominou a partida por quase todos os 90 minutos, pagou o preço de não ter um artilheiro nato num dia bom.

Sport num 4-2-2-2 conservador, com dois articuladores e dois volantes. Bahia num 4-3-1-2 um pouco mais defensivo que o normal, com Bruno Octávio na função de terceiro volante, revezando com Élder as subidas ao ataque.

E o Tricolor agradeceu, pois soube ser eficiente, fatal, sobretudo nos contra-golpes. Se defendendo bem num 4-3-1-2 sólido na defesa, tinha um centroavante decisivo na frente. Talvez nem tão decisivo assim. Mas capaz de puxar César, fazer a famosa “parede” de fustal, e, como um pivô perfeito, deixar o lateral Diego Corrêa cara a cara com Magrão. O camisa 6 só teve o trabalho de driblar o goleiro rival e abrir o placar.

Num 4-2-2-2 equilibrado, no qual os volantes raramente passavam do meio de campo e os laterais eram quase pontas, o Sport baseava seu jogo no talento e na velocidade dos meias Marcelinho Paraíba e Élton. Ora com o camisa 10 pela direita, ora com o 7. A movimentação e a troca de posição entre eles próprios confundiam a marcação dos volantes baianos, que, mesmo assim, não cansaram nem por um minuto no cerco aos meia pernambucanos.

O volume de jogo do time da casa ofuscava qualquer aparição de Morais. Marcelinho e Élton jogavam pelo time inteiro. Mas faltava um atacante capaz de se movimentar, abrir espaços e finalizar. E um lateral com a competência de acertar um cruzamento. Somente um. Apesar de bem ofensivos, Renato e Dutra falhavam feio nos lançamentos à área. Sorte de Geninho que Daniel Paulista acertou um chutaço no ângulo já no finalzinho da primeira etapa, empatando o jogo, e levando ótimo resultado para o vestiário.

Azar de Geninho que a equipe de Marcio Araujo voltava melhor para o segundo tempo. Mais agressiva, menos retranque ira, contudo, ainda assim, segura. Muito segura. Sem dar espaços ao ataque do Leão da Ilha. E com contra-ataques fatais. Como o puxado por Vânder, que driblou três marcadores antes de fazer cruzamento perfeito para Morais, de primeira, desempatar a partida.

Agora sim, o desespero tomava conta do Sport, que passou a atacar sem limites e sem muita orientação. Na base do “abafa“, mesmo. O Bahia se fechava cada vez mais e se defendia como podia. Dava certo. Até porque o Leão da Ilha esbarrava nas mesmas limitações e erros da primeira metade do jogo. Dessa vez, não havia um chute de fora da área para resolver.

Uma vitória como essa põe o Bahia, de vez, no grupo de favoritos ao acesso, principalmente pelo elenco que demonstra, atualmente, possuir. Afinal, mesmo sem 7 desfalques(sem contar o goleiro Renê, pego no antidoping) considerados “titulares”, o Tricolor soube ser decisivo diante do Sport, que tem time e elenco para se manter nessa briga. Só precisa de um cara para decidir. Quem sabe Ciro não faz as pazes com as redes e volta a decidir? O futebol é uma caixinha de surpresas.

Anúncios

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Claudio sacramento - Salvador/BA / set 26 2010 0:10

    Impressionante! O Bahia quebrou a invencibilidade do Sport na Ilha com 8 reservas! Impecável a marcação do tricolor! E lá na frente soube aproveitar as chances (mesmo que Vânder tenha perdido aquele “gol feito”). Se jogar dessa forma sempre vai ser campeão da Série B com o pé nas costas! Mas sabemos que não será sempre assim. Mas acho que o time tá mais confiante, mais seguro. Acho que sobem para a primeira divisão Figueirense, Bahia, Coritiba e mais um. Essa quarta vaga é muito difícil de prever.

  2. Giuliano / set 26 2010 20:29

    Ótima análise, Lucas. Assim como todas que venho acompanhando em seu blog.

    Gostaria de te fazer uma sugestão: Que tal fazer mais análises de partidas internacionais, principalmente da Champions League?

    Fica a minha sugestão, abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: