Pular para o conteúdo
01/09/2010 / Campo de 11

Os melhores times da História do Corinthians

Antes de dar início a este post, o blogueiro que vos escreve gostaria de parabenizar o Sport Club Corinthians Paulista por 100 anos de existência, glórias e conquistas. A história do alvinegro é algo raríssimo no futebol mundial, pois mistura raça, emoção e conquistas históricas. Sem dúvidas alguma, um time que marcou o Brasil e o mundo.

Neste post, pude receber a gentil colaboração do mestre André Rocha, do Blog Olho Tático, do Globoesporte.com.

Por questões de acessibilidade e coerência, por não poder sequer assistir a vídeos de times antigos do clube, como o de 54, por exemplo, a seleção de equipes históricas do Timão começou nos anos 70. Eis elas:

Corinthians 1977 – O fim do jejum

O time que venceu a Ponte Preta na final do Paulistão de 77 jogava num 4-3-3 clássico, com os laterais alternando as subidas ao ataque e Basílio quase como homem de ligação. Geraldão era um centroavante típico, mas que fazia gols.

Corinthians 1982 – O time da Democracia Corintiana

A democracia se baseava num 4-3-3 parecido com o da seleção brasileira bi-campeã do mundo no Chile, em 62. Biru-Biru era Zagallo de 82, o 'falso ponta-esquerda' do losango 'torto' corintiano. Eduardo e Ataliba brigavam pela vaga na ponta-direita. Por vezes, Eduardo jogava na vaga de Biru-Biru, na mesma função deste. Zenon era quem dava qualidade ao primeiro passe.

Corinthians 1990 – O time de Neto

Ciente das condições físicas deficientes do craque do time, Neto, Nelsinho Baptista arrumou o time em função do "xodó da Fiel". Como o 10 não voltava pra marcar, Tupãzinho, Mauro e, até mesmo, Fabinho tinham que fazê-lo com mais intensidade, deixando Neto para puxar contra-ataques e enfiar bolas. Dava muito certo. A solidez defensiva desse 4-3-3 era garantida pela dupla de volantes super-marcadores e raçudos.

Corinthians bi-brasileiro 1999

O 4-2-2-2 corintiano, que venceu o Atlético Mineiro na final, era bastante ofensivo. E tinha em Ricardinho e Marcelinho, ambos em grande fase, uma dupla de armadores sensacional. Edílson era o responsável pela velocidade e movimentação do ataque. Rincón era o gás do meio-de-campo, que saía bem a bola com Vampeta, um volante já moderno para o seu tempo.

Corinthians 2000 – O título histórico no Maracanã

O mesmo 4-2-2-2 de 1999, com pequenas alterações, ganhou o Mundo em pleno Maracanã. Oswaldo de Oliveira soube explorar bem seu quarteto ofensivo, fazendo com que Marcelinho e Ricardinho ditassem o ritmo do jogo. Edílson caía pelos dois lados, dificultando e confundindo a marcação adversária.

Corinthians 2005 – Galácticos da MSI

Antônio Lopes assumiu e implementou um 4-2-2-2 que variava para 4-1-3-2, com Rosinei fazendo um segundo volante moderno, que, por ora, virava meia direita ou terceiro volante. A intensa movimentação dos atacantes facilitava o trabalho dos super-talentosos meias articuladores. Marcelo Mattos tinah que se desdobrar na marcação.

Corinthians 2009 – Ronaldo, Elias, Douglas e o título da Copa do Brasil

Mano tentou manter a base da Sérrie B de 2008. Achou em Elias o seu coringa, no fortíssimo 4-2-3-1 que se confundia com 4-3-3. Douglas, o camisa 10, era quem ditava - e bem - o ritmo do jogo, sabendo a hora de cadencia e a hora de acelerar. A encurtação de espaços era uma característica desse time, que tinha como virtude a movimentação e o desdobramento de seus jogadores. Ronaldo era o único que não fazia tanto isso. Cristian era um primeiro volante diferente, que saía com bola e chutava a gol. André Santos, pela esquerda, era mais ala do que lateral, precisando sempre do equilíbrio de Alessandro, que pouco ia ao ataque, em função da verticalização do camisa 6. Os meias abertos pelos lados ora eram pontas, ora meias, e voltavam para marcar. Foi dessa forma que Mano venceu o Inter de Taison, D'Ale e Nilmar na Copa do Brasil 2009.

Anúncios

3 Comentários

Deixe um comentário
  1. paulo imbroinise / set 9 2010 23:35

    Lucas por que não mencionar o título da série B? Não vejo demérito nenhum nesta conquista, pelo contrário o corinthians e sua fiel e fantástica torcida deram um show, revolucionaram o campeonato da série B, virou inclusive objeto de desejo de alguns clubes, como por exemplo o Vasco. bjs.

  2. Claudio / out 15 2010 15:47

    o de 2005 está equivocado, ao meu ver.. Carlos Alberto era reserva.. o meio era composto por Marcelo Mattos, Mascherano, Rosinei e Roger

  3. Marcelo / jun 4 2011 0:11

    Belo post! Como corinthiano, posso dizer que você selecionou perfeitamente os times com maior relevância pra história do Timão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: